62894388 @elapensatambem: Desafio da Maternidade.

recent posts

3 de mar de 2016

Desafio da Maternidade.

Hello people!

Hoje vim falar sobre esse "desafio" que está rolando aí nas redes sociais do mundo inteiro, soube desse desafio pelo facebook, e confesso que achei linda as fotos das mamães com os seus filhos no meu face, curti, comentei, porém não me chamou a atenção.
Fonte: http://pamelaproducoes.blogspot.com.br
Em um dos meus acessos ao meu e-mail, observei na home page do meu provedor uma reportagem com mamãe Juliana Reis, ela fez um desabafo sobre as dificuldades da maternidade e chegou até a ser banida do facebook por isso.
Ninguém é obrigado a concordar com nada gente, facebook é um muro particular, cada um escreve o quer, se não gosta não olhe para o muro! Ressaltando aqui a necessidade de observar a lei.

Ressaltarei aqui alguns pontos de reflexão, baseado no depoimento de algumas mães que participaram deste desafio.

Sexo Feminino: Não há como fugir disso, somos fêmeas e portando temos a potencialidade natural de sermos mães, aliás o primeiro quesito para ser mãe é ser do sexo feminino.

Consciência Sexual: Em alguns depoimentos que li sobre esse desafio, vi algumas mulheres se queixando sobre o fato de estarem grávidas, em geral eram mulheres que não planejaram a sua gravidez e que sim foram irresponsáveis. Não existe nenhum método contraceptivo que possa dar 100% de garantia, se você não quer engravidar, então seja homem, ou não faça sexo de jeito nenhum, ou retire algum órgão que seja necessário para engravidar, tipo trompas, útero enfim...

Uma vez que temos relações sexuais, seja de forma consentida ou não, naturalmente poderemos ficar grávidas, e consequentemente passaremos pelo processo chamado maternidade, esse processo só termina no dia da nossa morte ou da morte de nossos filhos.

Sei que minhas palavras podem parecer duras, mas elas são reais.

Sociedade: Vivemos em uma sociedade machista, onde os erros masculinos possuem "consequências mais brandas" é fácil para o pai abandonar o seu filho e sumir no mundo, os homens não carregam um ser dentro do ventre deles ou uma marca de cesariana evidenciando que um dia eles foram pais, infelizmente as consequências de ter relações com um parceiro instável ou mesmo um estável são sempre mais árduas para as mulheres, lembre -se essa uma questão natural da vida e que infelizmente nós como sociedade não estabelecemos o equilíbrio nisso, nossas leis, nossa forma de pensar, nossos julgamentos e principalmente nossa "hipócrita moralidade" não são a favor da mulher, inclusive nesse aspecto.

O romantismo da maternidade: Ser mãe é algo maravilhoso, por vários e inumeráveis motivos, porém maternidade também é sinônimo de responsabilidade e de sacrifícios. Muitas mulheres escolhem passar por processo, outras não. Cada uma tem sua própria experiência, tem seus próprios medos, nada é igual para ninguém. O desafio é de cada uma, e assim como tudo que vivemos sempre há aqueles momentos alegres e aqueles que não são, na maternidade não é diferente. É um desafio.

A criança: É o ser mais indefeso e que precisa de amparo nessa história toda, ela é e sempre deve ser prioridade. Quem abandona uma criança independente de ser homem ou não abandona a si próprio, abandona a sua própria carne, a sua própria natureza, abandona a sua própria existência.

Melhores Práticas: Sexo com responsabilidade, saiba dos riscos e consequências. Ninguém morre por não fazer sexo, nossa sexualidade não precisa se desenfreada, irresponsável. Nascemos mulher e naturalmente nascemos com a responsabilidade de carregar em nossos ventres a posteridade da humanidade, então pense nisso.
Nós mulheres muitas vezes repetimos os padrões destrutivos que essa sociedade machista nos impõe, porém muitas vezes nós mulheres ensinamos aos nossos filhos a serem esses pais sem responsabilidades, a serem esses caras que tratam as mulheres como objetos sem valor, precisamos observar melhor a educação dos nossos filhos.
Já temos o direito de votar, já trabalhamos fora, em algumas profissões temos o salário equiparado, o que quero dizer é: Temos as armas necessárias para mudar, podemos fazer isso.

Expus aquilo que penso sobre o assunto, são algumas reflexões próprias. Não julgo ninguém, esse papel não me cabe.

Vamos fazer o nosso melhor enquanto mulheres, vamos pensar no bem coletivo, vamos ser mais unidas!!

Até a próxima...

      

2 comentários: