62894388 @elapensatambem: O cérebro faz parte do relacionamento

recent posts

25 de ago de 2017

O cérebro faz parte do relacionamento

Se tem uma coisa que aprendi com algumas experiências que tive na minha vida é que sentimentos não resolvem problemas, eles podem ser a motivação para solução como também podem ser um agravante para tais problemas.
Vou usar como exemplo aqui o sentimento mais falado de todos, o Amor.
Muitas vezes vivemos as nossas relações amorosas como se elas fossem  romances, esse comportamento se dá pelo fato de estarmos apenas vivendo o sentimento, por estarmos apenas ligados a nossas emoções, porém as nossas relações nos requerem muito mais do que isso. Foi o que a Fêh Zenatto do Blog Coisa e Tal, nos disse em seu comentário no post Tire o seu coração da gaveta, aqui do blog.

Acreditar na existência do sentimento amor não o suficiente, é necessário ter o comprometimento de ambos. Nós sonhamos, idealizamos projetos quando encontramos uma outra pessoa em nossas vidas, faz - se necessário decidir como será essa relação. Como esse dois mundos de sonhos e projetos poderão caminhar juntos? Como a Fêh falou " Objetivos de vida diferentes podem acabar com um relacionamento". Isso não é uma regra, porém esse  o tipo de relacionamento tende a exigir mais sacrifícios. Não digo que você só deve procurar alguém que tenha o mesmo objetivo de vida que você, porém é extremamente necessário a existência do "mútuo apoio" nas escolhas e objetivos traçados em conjunto por ambos. Mas também, encontrar alguém com os mesmos objetivos ou estar com alguém que possua o mesmo estilo de vida que você não resolve a questão se não houver o "apoio mútuo".
Ainda no post Tire o seu coração da gaveta o blog Casar é Assim fez o seguinte comentário:

Ter uma relação baseada apenas no que se sente, é viver em intensos conflitos, pois existem outros sentimentos que nos afetam de igual forma, como por exemplo o medo, a raiva, o ciúmes e outros. Esses sentimentos afloram em nós de maneira que não sabemos quando, mas eles surgem conforme a circunstância que estamos passando. Se estamos baseando as nossas relações apenas na crença da existência de um sentimento, então todas as decisões que tomamos no nosso relacionamento será baseado também em sentimentos como o medo, a raiva e o ciúmes, eles também fazem parte do nosso emocional. Munidos desses sentimentos que muitas vezes chamamos de amor, torna-se impossível   aceitarmos algumas coisas e realizarmos mudanças necessárias para a saúde do relacionamento. O raciocínio, a mente, a razão é tão necessário quanto as suas emoções, pois relacionamentos exigem tomadas de decisões, o ingrediente " cérebro" não pode faltar.
Relacionamentos exigem sacrifícios, exigem abrir mão de determinadas coisas para ganhar outras ou apenas abrir mão mesmo.
Quando em um relacionamento ambos se sacrificam um pelo outro então os laços desse relacionamento ficam cada vez mais fortes.
O verdadeiro Amor lança fora todo medo, ele confia e ele não existe apenas dentro na caixa torácica mas existe também dentro do crânio. Equilíbrio é a chave. Você poderá sentir algo por alguém mas antes de embarcar nessa relação use a sua mente e reflita se essa pessoa realmente está disposta a se comprometer com você e com uma vida a dois.
Amanhã tem mais, até!

Um comentário:

  1. Apareci pra conferir esse post. Primeiro, muito obrigada pela citação!
    E digo mais, concordo com o que tu completou após meu comentário. Também acho que duas pessoas não precisem ter o mesmo objetivo, acho que mais importante que isso é o apoio de cada um frente ao objetivo do outro!

    Beijos.
    BLOG COISA E TAL

    ResponderExcluir